Detectado em Dezembro do ano passado na Província de Wuhan, na China, o novo Coronavírus, Covid-19, até dia 9 de maio já tinha infectado mais de 4 milhões de pessoas e matado mais de 280 mil.

Diante deste estado de pandemia, a Isomeria – Soluções em Química manifesta sua preocupação com a saúde de todos. Assim, abaixo você poderá conferir algumas dicas de como se prevenir contra o novo vírus.

              1. Utilize máscaras
A recomendação do ministério da saúde é utilizar máscaras de tecido de pelo menos duas camadas ao sair de casa, pois ela atua como uma barreira física contra os vírus e bactérias presentes no ar.
              2. Cubra o rosto ao tossir ou espirrar
Ao cobrir o rosto com um pano, lenço, ou mesmo com o antebraço, evitamos que as partículas expelidas se espalhem pelo ar, diminuindo o possível contágio.
              3. Evite Tocar olhos, nariz e boca
Nossas mãos estão em constante contato com objetos que podem estar contaminados com diferentes tipos de microorganismos. Ao levá-las para nossos olhos, nariz ou boca, os levamos junto , que entram em nosso corpo, nos contaminando.
              4. Higienize bem as mãos
Para evitar a contaminação citada no item anterior, devemos sempre lavar muito bem nossas mãos com a água e sabão, ou com álcool 70%, pois isso faz com que os vírus e bactérias percam sua atividade biológica, e, assim, não podem agir para nos contaminar. Você pode conferir o procedimento correto na imagem abaixo.

              5. Fique em casa
Atualmente, a melhor forma de prevenção é ficar em distanciamento social, evitando o contato com outras pessoas, pois muitas vezes estamos contaminados e não apresentamos sintomas, contaminando ainda mais gente.
Aproveite este tempo para fazer alguma atividade diferente, como aprender a tocar um instrumento, ler um livro novo, cozinhar, assistir a filmes e séries, fazer exercícios, aprender uma nova língua, ou usar nossa criatividade em desenhos, pinturas e escrevendo.

Ficou com alguma dúvida? Entre em contato conosco ou consulte fontes confiáveis para mais informações!

 

Fontes: Brasil escola, Anvisa, G1

Scroll to top