Como sabemos, a qualidade de um produto é de extrema importância para o consumidor, muitas vezes atuando como fator decisivo para o sucesso ou fracasso dele no mercado de vendas. Desse modo, se torna imprescindível que uma empresa apresente interesse nos processos que podem interferir na qualidade de seu produto.
Tal qualidade não é um fator simples e dependente de uma única variável, mas sim é atrelado a diversas condições, que podem variar desde a origem da matéria-prima até mesmo ao armazenamento do produto final. Sob essa perspectiva, um grande aliado do setor de controle de qualidade é o padrão chamado de Shelf Life ou mesmo Tempo de Prateleira, em português. 
O que é Shelf Life?
O conceito de Shelf Life se refere à vida útil de um produto na prateleira, ou seja, é o cálculo do tempo no qual um produto pode ser mantido armazenado sem ter sua integridade comprometida, de maneira resumida, é a data de validade do produto. 
O Tempo de Prateleira se inicia no momento em que o produto é fabricado e é estabelecido através da análise de diversos fatores, tanto químicos – reações do produto – quanto até mesmo físicos – como a cristalização do mesmo. Sua qualidade pode se deteriorar graças a complexas reações baseadas em mecanismos biológicos, químicos ou físicos. 
Por mais que seu uso seja mais amplamente conhecido no ramo alimentício, o Tempo de Prateleira também é de extrema importância para produtos químicos, produtos de higiene pessoal, fármacos, entre outros.
Qual a importância do Shelf Life?
A determinação do Tempo de Prateleira do produto, através de análises físico-químicas, por exemplo, é muito importante para se conhecer o processo como um todo, tendo como resultado a aplicação direta dele no controle de qualidade.
Produzir um produto que atenda aos padrões de qualidade propostos deve ser uma preocupação primária da empresa, uma vez que o consumidor vem se preocupando cada vez mais com a qualidade do produto adquirido. Tal preocupação levou a uma mudança no perfil do consumidor, que muitas vezes se encontra disposto a pagar mais por um produto de maior qualidade, fidelizando-se com a marca adquirida.
Além de ser uma determinação legal para a venda, o Tempo de Prateleira oferece ao consumidor maior conhecimento sobre o produto, dando-lhe as informações necessárias para o armazenamento e utilização adequada do mesmo. 
Ademais, ao se determinar o tempo de prateleira de seu produto e realizar um acompanhamento com o controle de qualidade, podem-se perceber novas alternativas para aumentar a durabilidade de seu produto, e, assim, fazer com que suas vendas aumentem.
Quais as propriedades avaliadas no Shelf Life?
Durante a determinação do Shelf Life, o processo de produção, a manipulação dos ingredientes e o subsequente armazenamento devem ser levados em conta e analisados, visto que dependendo da forma como essas etapas forem realizadas, o produto pode ter sua vida útil alterada.
De modo simplificado, o cálculo do tempo de prateleira envolve os processos de produção, matéria prima utilizada, além de condições de armazenamento e transporte.
Diferentes padrões são levados em conta na hora de se realizar o cálculo. Deve-se ressaltar que esses fatores podem ser divididos entre duas categorias: Intrínsecos e Extrínsecos. A primeira se refere aos fatores naturais do produto, suas propriedades físico-químicas, analisando-se laboratorialmente fatores como:
Nível de acidez total e análise de pH;
 
Qualidades sensoriais ou estéticas, como cor, sabor, aroma e textura, alterados por reações físico-químicas;
Quantidade de oxigênio disponível;
Alterações microbiológicas e presença de enzimas de reagentes químicos;
Quantidade de água presente no produto;
Potencial redox;
Entre outros.
Já a segunda categoria engloba as características adquiridas pelo produto ao longo do decorrer do processo de vida, da fabricação até a utilização final.  Pode-se ressaltar a análise de:
Temperatura, pressão, umidade, durante o transporte e armazenamento;
Condições existentes na embalagem;
Manuseio do produto pelo cliente;
Avarias constantes à embalagem indicada;
Entre outros. 
Observa-se que o nível de influência de cada fator varia de produto para produto, levando a conclusão de que cada Shelf Life é único para cada produto, não podendo ser generalizado. Portanto é necessário o acompanhamento de profissionais qualificados para a correta realização das análises laboratoriais. 
É possível melhorar o Tempo de Prateleira? 
Do mesmo modo como certos fatores podem deteriorar o Tempo de Prateleira, outros podem ser benéficos para ele, fornecendo um aumento na vida útil do produto.
Diversos fatores podem atuar para aumentar o Tempo de Prateleira de seu produto, desde o conhecimento das propriedades físico-químicas de suas matérias primas até mesmo as condições de envase das embalagens. Portanto, para que o Shelf Life seja melhorando, a presença constante de uma equipe capacitada para o pleno entendimento do processo  é de extrema importância.  
Ademais, existem outras alternativas viáveis para o aumento desse padrão que podem ser listadas a seguir:
Implantação de um Manual de Boas Práticas de Fabricação (BPF): conjunto de procedimentos obrigatórios criados por profissionais qualificados para garantir o padrão de qualidade.
Estudo para melhoria de embalagens: diversas soluções são possíveis para tornar a embalagem um ambiente mais adequado para o produto, como, por exemplo, a embalagem a vácuo. 
Uso de aditivos químicos;
Entre outros.
Em suma, o Shelf Life é um padrão essencial para a indústria como um todo, colocando em prática a real importância de se analisar o controle de qualidade de um produto por meio de profissionais da área que possuam o conhecimento e ferramentas adequadas.
A Isomeria – Soluções em Química é especializada na área, possuindo os equipamentos e os conhecimentos necessários para encontrar a melhor solução para seu produto. Entre em contato! 
Fonte: Storage Stability-Shelf Life Testing.
Por: Letícia Lima Ludovico
Scroll to top