É de conhecimento geral que  os recursos naturais dispostos da natureza são finitos e que, com o seu uso desenfreado, a humanidade corrobora com o seu fim. Desse modo, nos cabe pensar em soluções que poderiam ser tomadas para retardar este fim.
Uma destas soluções encontradas é justamente a compensação ambiental. Mas o que seria isso? 
Compensação Ambiental 
Pela definição do Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade, entende-se que o mecanismo de compensação ambiental não tem por objetivo compensar impactos do empreendimento que a originou, mas sim compensar a sociedade e o meio ambiente como um todo.
Através do uso autorizado de recursos naturais por empreendimento de significativo impacto ambiental, ou seja, quando uma empresa de grande porte faz algum tipo de obra em determinado local isso gera um impacto no meio ambiente, local de moradia tanto da comunidade, quanto da vida da fauna e flora ao entorno. 
Justamente buscando reduzir este impacto causado é que os habitantes são recompensados de alguma forma.  
De acordo com a lei n° 11.576, de 28 de agosto de 2007, a recompensa deve ser feita a partir de um valor monetário de 0,1% a 0,5% do valor total do empreendimento, destinado para Unidades de Conservação local, como regularização de reservas legais ou mesmo recuperação de áreas degradadas, por exemplo. 
Contudo, os cálculos são realizados pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), desse modo, dependendo da situação, podem variar.
De modo geral, a compensação ambiental atua como um incentivo para que empresas reflitam sobre os danos ambientais provocados na execução dos seus projetos, realizando um planejamento a fim de evitar e minimizar os impactos negativos ao meio ambiente.
Pode-se separar a compensação ambiental entre dois tipos fundamentais: a preventiva X a corretiva. 
Preventiva: é verificada ao longo do processo de licenciamento ambiental para o empreendimento. Nela determina-se o valor que o empreendedor vai pagar, bem como a unidade de conservação que receberá os recursos.
Corretiva: é demandada quando ocorre algum tipo de acidente ambiental como, por exemplo, derramamento de óleo no mar. Nesse caso, a empresa fica responsável por compensar o dano investindo em uma ação que cause um impacto positivo no meio ambiente.
Além disso, a compensação ambiental possui papel fundamental no  desenvolvimento sustentável do planeta, de maneira que satisfaz as ODS 11 (cidades e comunidades sustentáveis), 12 (consumo e produção responsáveis), 13 (ação contra a mudança global do clima), 14 (vida na água) e 15 (vida terrestre).
Ao longo do processo de compensação ambiental são necessários diversos estudos e análises para determinação dos parâmetros ambientais da área, por exemplo. A Isomeria – Soluções em Química preza pelo trabalho sustentável e diminuição de impactos no meio ambiente com alta qualidade nos serviços  prestados, oferecendo diversos produtos voltados para a área ambiental.  Entre em contato para saber mais!
Fontes: Governo do Brasil, G1 Paraná, eCycle
Por: Isabelle Veiga e Letícia Ludovico
Scroll to top