CHORUME

 

O chorume é um líquido escuro contendo alta carga poluidora, o que pode ocasionar diversos efeitos sobre o meio ambiente. O potencial de impacto deste efluente está relacionado com a alta concentração de matéria orgânica, reduzida biodegradabilidade,  presença de metais pesados e  de substâncias recalcitrantes.

A decomposição dos resíduos sólidos, depositados em aterros sanitários, é um processo dinâmico comandado por organismos decompositores de matéria orgânica, sendo em sua maioria bactérias heterotróficas, aeróbias e facultativas. Esta decomposição pode ser descrita pelas fases aeróbia e anaeróbia.

A fase aeróbia ocorre durante o primeiro mês de deposição e recobrimento do lixo na vala. A ação de decomposição é realizada pelas bactérias aeróbias que utilizam o oxigênio presente no interior do aterro. É mais intensa no início e a medida que o oxigênio vai ficando escasso a decomposição torna-se mais lenta.  A presença de águas pluviais exerce grande influência sobre esta fase, pois facilita a redistribuição de nutrientes e microorganismos ao longo do aterro sanitário.

Quando todo o oxigênio é consumido, inicia-se a fase anaeróbia, onde a decomposição ocorre através dos organismos anaeróbios e/ou facultativos que hidrolisam e fermentam celulose e outros  materiais presentes no resíduo. Esta fase é caracterizada pela  redução da concentração de carbono orgânico, altos níveis de amônia e largo espectro de metais, representando considerável potencial de risco para o meio ambiente. A fase anaeróbia pode demorar vários anos para estar completa.

Diversos fatores contribuem para que o resíduo da decomposição do lixo (chorume) seja complexo e apresente significativas variações em sua composição. Dentre as mais importantes contam-se: dinâmica de decomposição ao longo do tempo, variações na forma de operação do aterro sanitário, na composição dos resíduos depositados, no volume de chuvas e outras alterações climáticas.

Estudos realizados, com amostras de chorume provenientes de diferentes aterros sanitários, demonstraram diferenças significativas em suas composições. Em geral, o chorume pode ser caracterizado como uma solução aquosa contendo (vide Tabela):

 

 

Composição do chorume de aterros sanitários.

 

Parâmetro

Faixa

 .pH

4,5 – 9

Sólidos totais

2000 – 60 000

 

Matéria orgânica (mg/L)

 

 Carbono orgânico total

30 – 29 000

 Demanda biológica de oxigênio (DBO5)

20 – 57 000

 Demanda química de oxigênio (DQO)

140 – 152 000

 DBO5/DQO

0,02 - 0,80

 Nitrogênio orgânico

14 – 2500

 

Macrocomponentes inorgânicos (mg/L)

 

Fósforo total

0,1 – 23

Cloretos

150 - 4500

Sulfatos

8-7750

HCO3-

610-7320

Sódio

70-7700

Potássio

50-3700

Nitrogênio amoniacal

50-2200

Cálcio

10-7200

Magnésio

30-15 000

Ferro

3-5500

Manganês

0,03-1400

Sílica

4-70

 

Elementos traços inorgânicos (mg/L)

 

Arsênico

0,01-1

Cádmio

0,0001-0,4

Cromo

0,02-1,5

Cobalto

0,005-1,5

Cobre

0,005-10

Chumbo

0,001-5

Mercúrio

0,00005-0,16