A água é, sem sombra de dúvidas, indispensável para a vida humana, tanto em seu âmbito social quanto em atividades econômicas. 
Sua importância é tão grande que o 6º Objetivo do Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODS) gira em torno da qualidade da água consumida na sociedade, buscando alcançar o acesso e saneamento e higiene adequados e justos para todos. Clique aqui para ler nosso post anterior sobre a importância da qualidade da água.
Dessa maneira, se entra em um tópico envolvendo a água: quando ela é considerada de qualidade e quando é considerada poluída e/ou contaminada?
Quando a água é considerada poluída e/ou contaminada?
De maneira simplificada, água poluída é toda água que, como consequência de alguma reação em seu interior, acaba tendo modificações em suas propriedades físicas e químicas – como por exemplo cor e cheiro.
A água contaminada, por outro lado, é aquela em que há a presença de organismos causadores de doenças ou substâncias potencialmente perigosas à saúde. Essa água, diferentemente da potável, não deve ser utilizada para consumo humano.
Desse modo vemos que na verdade, a água contaminada é um tipo de água poluída, mas nem toda água poluída está contaminada. Estes termos geralmente são tratados como sinônimos, mas é necessário que se compreenda suas diferenças. 
Já a água potável, ou seja, a água própria para o consumo humano, deve estar de acordo com a Portaria nº 2914, de 12 de dezembro de 2011, na qual se estabelecem os padrões da água de consumo humano destinada para a preparação e produção de alimentos, ingestão e higiene pessoal, informando que esta não deve em hipótese alguma oferecer riscos à saúde humana, sendo de qualidade assegurada, livre de quaisquer contaminações e potável.
Poluentes e contaminantes das águas
Ao longo dos anos diversos agentes contaminantes vêm chamando a atenção da sociedade por conta do grande impacto que causam nas águas do planeta. A contaminação da água pode ocorrer de diversas maneiras, a seguir iremos destacar alguns dos principais meios atuais e as suas consequências.
Microplásticos: estas são partículas sólidas baseadas em polímeros com comprimento menor do que 5 mm que, justamente por seu tamanho, se espalham nos oceanos, por exemplo, incorporando partículas tóxicas e afetando cadeias alimentares. Podemos citar como exemplos de microplásticos: glitter, poliéster, tintas, etc; 
Fertilizantes agrícolas: Muitos fertilizantes carregam poluentes orgânicos persistentes (POP’s) que contaminam a vida do ambiente aquático. Além disso, a contaminação por fertilizantes pode levar à eutrofização de um sistema, diminuindo a sua oxigenação. 
Metais pesados: Muitos metais pesados, como o Chumbo, Cádmio e Mercúrio, são capazes de causar perturbações na saúde do ser humano. Por meio do seu descarte inadequado, esses metais acabam contaminando lençóis freáticos e entram no ciclo da água do local.
● Entre outros. 
Como determinar essa contaminação na água?
Através da análise dos principais parâmetros da água é possível determinar a real contaminação desta, além de ser possível determinar qual contaminante está presente.
Algumas das principais análises que são realizadas no controle dos padrões de qualidade da água são:
FTIR: Por meio da espectroscopia de absorção no infravermelho por transformada de Fourier (FTIR) é possível caracterizar uma amostra, quantificando uma determinada substância presente. Assim, pode-se monitorar a existência de uma contaminação com facilidade!
MEV: A Microscopia Eletrônica de Varredura (MEV) é uma técnica de análise microscópica que realiza a leitura da superfície de uma amostra, gerando rapidamente imagens de alta definição desta. Desse modo, pode-se obter informações sobre a estrutura, quantidade e composição química do material analisado, possibilitando  o estudo de análise de possíveis contaminações.
Análises Físico-Químicas: Por meio de análises como pH, densidade e propriedades organolépticas, é possível se manter um olhar detalhado sobre a qualidade da água que se está trabalhando, desse modo, é desenvolvido um método de constante prevenção para possíveis contaminações.
Todas essas análises citadas são somente parte de todo o conjunto de parâmetros que podem ser analisados nos processos envolvendo a qualidade da água, muitas outras ferramentas e abordagens estão disponíveis.
A Isomeria – Soluções em Química é especializada na área, possuindo os equipamentos e os conhecimentos necessários para realizar as diversas análises citadas aqui, sempre buscando tornar o seu produto o de maior qualidade possível. Clique aqui para conhecer nossos serviços e entre em contato para discutirmos as melhores soluções para sua empresa!

 

Fonte: eCycle
Por: Letícia Ludovico

 

 

 

Compartilhe em suas redes!

Scroll to top